Volte a ser Maria


Lucas 10: 38-42
E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude.
E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.

Marta e Maria, duas irmãs, duas pessoas, duas personalidades. 

Marta estava afadigada, preocupada em recepcionar o Mestre da melhor forma possível, o que não estava errado, mas apenas recepcionamos bem mesmo o Mestre quando simplesmente paramos para O ouvir. Maria, de certa forma mais despreocupada com os afazeres, porque humildemente queria ouvir o Mestre e o que Ele tinha a ensinar, queria aproveitar a Companhia de Jesus o máximo que pudesse, pois assim como Marta, cria que Jesus era e é o Filho de Deus.

Duas personalidades, representando dois tipos de pessoas. Mas será que estamos sendo Marta ou estamos sendo Maria?

Nesse contexto, Marta representa a preocupada, a ansiosa, e a que não cede tempo para ouvir o que Jesus tem a dizer, não é errado que ela estivesse se preocupando em recepcionar Jesus com o melhor que ela tinha, mas as vezes nos esquecemos que a melhor recepção que podemos fazer pra Ele, é parar tudo o que estamos fazendo para ouvir o que Ele tem a dizer, pois Ele não quer o que temos a oferecer, Ele simplesmente nos quer ter por perto. 

Maria, aquela que ofereceria o melhor que tinha, a que levaria os pés de Jesus com o nardo puro, cujo valor não estaria no unguento, e sim porque ela abriria mão do melhor que tinha, é a mesma Maria que enquanto Jesus ensina, decide sentar para ouvi-Lo, decide deixar as preocupações que a rodeavam, e quem sabe até mesmo o olhar de preocupação de Marta pedindo a ajudasse, porque queria simplesmente ouvir e estar perto de Jesus.

A qual delas estamos sendo parecidos? A  que se preocupa em servir Jesus, sem ter intimidade com Ele ou a que quer servir Jesus, mas sabe que antes disso precisa se relacionar com Jesus? 

Jesus não quer o que temos a oferecer, afinal, nada sairia de bom nisso e além do mais, se assim fosse, seria interesse de Jesus, e aquEle que é próprio Amor, jamais amaria por interesse. Jesus simplesmente nos quer mesmo com falhas, erros e defeitos, mesmo sabendo quão pequenos somos, Ele ainda assim continua nos querendo por perto. Quando amamos alguém, logo queremos estar sempre perto dessa pessoa, para que quando esta precisar, estejamos lá para ajudar, assim é com Jesus, porém isso acontece de forma perfeita.

Quando Jesus quer falar, precisamos parar tudo para o ouvir. 

Quantas vezes sentimos Deus no íntimo de nosso ser, querendo falar aos nosso corações, querendo se relacionar conosco, e até mesmo nos acordando de madrugada, mas pela correria do dia, pela preocupação do dia seguinte, não paramos para ouvir Jesus. Dizemos: "Agora não, daqui a pouco eu oro, daqui a pouco eu leio a Bíblia, só vou terminar de conversar com essa pessoa e já vou, só vou terminar de ver esse episódio e já vou." ou simplesmente: "Já está tarde para orar, amanhã acordo cedo." 

 Queremos ter Jesus cada vez mais perto, mas não dedicamos tempo, não paramos para ouvir e conversar com Ele, o erro está em nós, mas Ele nos ajuda a acertar.

E se ao terminar de ler esse texto, você se identificou com Marta, assim como algum tempo atras eu também já me identifiquei, ouça o Espirito Santo te dizer: Volte a ser Maria. A Maria que para tudo pra ouvir Jesus, a Maria sensível ao que Deus quer falar. Podemos até ser a Marta que ama Jesus, mas precisamos ser como Maria que para o que está fazendo para estar perto de Jesus. 

Que amemos Jesus com atos, pois o Amor dEle por nós se deu em ações. O Calvário é prova disso.


2 comentários

My Instagram